Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula. Bem ao centro, havia uma escada e, sobre ela, um cacho de bananas. Quando um macaco subia na escada para pegar as bananas, um jato de água fria era acionado contra os que estavam no chão.

Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros o pegavam e enchiam de pancada. Com mais algum tempo, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas.

Então os cientistas substituíram um dos macacos por um novo. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, dela sendo retirado pelos outros, que o surraram. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não subia mais a escada.

Um segundo macaco veterano foi substituído e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado com entusiasmo na surra ao novato.

Um terceiro foi trocado e o mesmo ocorreu.

Um quarto, e afinal o último dos veteranos foi substituído.

Os cientistas, então, ficaram com um grupo de cinco macacos que mesmo nunca tendo tomado um banho frio continuavam batendo naquele que tentasse pegar as bananas. Se fosse fosse possível perguntar a algum deles porque eles batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria:

"Não sei, mas as coisas sempre foram assim por aqui".

Os livros que me ensinaram a gostar de ler

Resolvi escrever esse post hoje para falar para vocês sobre uma coleção de livros que ajudou as crianças a aprenderem a gostar de ler em meados dos anos 80 e 90. Ao menos foi o que aconteceu comigo nos idos anos 90. Naquela época, Atari era artigo de luxo e diversão infantil era jogar bola na rua ou ir na casa de algum amigo jogar Banco Imobiliário (e olha que jogos de tabuleiro também eram bastante caros).

Aqui em Curitiba, desde 1994, existem bibliotecas chamadas “Farol do Saber”, e lembro como se fosse hoje o dia em que meu pai me levou lá para fazer minha carteirinha e emprestar alguns livros. Carteirinha em mãos, escolhi um livro que fazia parte de uma coleção que se chamava Enrola e Desenrola, publicada pela Ediouro, e que se dividia em dois ramos: “Escolha sua Aventura" e "E agora você decide”.

Por que o livro chamava tanta atenção? Primeiro pelas ilustrações da capa, sempre cheias de elementos que já fermentavam a imaginação, segundo pela história, que era sempre narrada em segunda pessoa, transformando o leitor em personagem principal. E terceiro o maior diferencial do livro: Ao chegar ao fim de cada página, existiam opções para o leitor escolher. E dependendo da escolha feita, o leitor era direcionado para uma página diferente e então, a aventura se desenrolava de acordo com as escolhas feitas.

Era mais ou menos assim:

Você é um navegador famoso e que tem por objetivo descobrir o continente perdido de Atlantida. A bordo de seu submarino ‘Desbravador’, você faz os ultimos preparativos para sua intrigante aventura. Finalmente chegou o dia esperado. Você entra no Desbravador, acena para seus companheiros de equipe que ficarão no navio prestando suporte, e faz o sinal para descer o submarino. A cada metro que o submarino adentra no mar, um novo cenário aparece em sua frente. O que fazer agora? Você pode investigar uma galeria de cavernas mapeadas por seu radar. Embora exista também a oportunidade de navegar pelo solo maritmo, em busca de alguma evidencia da civilização atlante. Se você desejar investigar as cavernas, vá para página 5. Se preferir averiguar o solo, navegue para pagina 10.

Talvez hoje esses livros não causem tanto impacto, mas em uma época em que internet era coisa de gente (muito) rica, o livro cativava a garotada por brincar com sua imaginação e proporcionar a oportunidade de escolher o destino de várias história. Diferentemente dos livros comuns.

Cada livro tinha em torno de 120 páginas, custava algo em torno de 10 ou 15 reais hoje e tinham uns 40 finais diferentes. A maioria era finais mornos, mas sempre existia alguns realmente desejados e outros que eram não tão desejados. (como uma vez que viajei tanto no futuro que encontrei o planeta Terra sem atmosfera, morrendo asfixiado)

Os livros - traduzidos por Origenes Lessa, que depois iria assumir uma cadeira na Academia Brasileira de Letras - eram publicados originalmente em inglês pela editora Bantam Books, falida, e por isso hoje não são mais publicados por aqui.

Por que eu resolvi escrever isso hoje?

Primeiro porque lembrei desses livros e de como eles me fizeram bem durante a minha infância, resolvi procurá-los para comprar na internet, em sebos, etc.

Segundo porque ontem comecei a jogar The Walking Dead Ep. 1: A New Day (tema do próximo post, me cobrem) onde a jogabilidade é muito parecida porque você também precisa fazer escolhas que definem o destino do seu personagem.

Terceiro porque esse blog vai ser assim em 2013, mais pessoal, certo pessoal? :D

O significado de todo acontecimento depende do filtro pelo qual o vemos. Quando mudamos o filtro, mudamos o significado do acontecimento, e a isso se chama ressignificar, ou seja, modificar o filtro pelo qual uma pessoa percebe os acontecimentos a fim de alterar o significado desse acontecimento. Quando o significado se modifica, as respostas e comportamentos da pessoa também se modificam.